O sucesso de um negócio está diretamente ligado a uma boa administração, não é mesmo? Sem uma gestão de qualidade, é praticamente impossível fazer a empresa lucrar mais e se destacar no mercado. E para garantir esse sucesso, bons gestores utilizam indicadores.

A implementação, a mensuração e o acompanhamento de indicadores ajudam no monitoramento dos resultados da empresa, além de ajudar o administrador a tomar decisões importantes para garantir a melhoria constante do modelo de negócio.

Neste artigo, você vai conhecer as cinco principais categorias de indicadores úteis a todo gestor de oficina mecânica e aprender a calcular métricas importantes dentro de cada uma delas. Ficou curioso? Continue a leitura!

1. Capacidade de produção

A atividade de uma oficina mecânica está relacionada à venda de produtos e principalmente serviços. Sendo assim, analisar essa produtividade é fundamental para um bom gestor.

Isso porque quanto mais produtos e serviços puderem ser vendidos em um menor período de tempo, maior será o lucro do negócio.

Indicadores de produtividade

Esses indicadores estão relacionados ao uso dos recursos da oficina em relação à entrega de serviços ou produtos. Dessa forma, você deve analisar a produtividade (por hora) de colaboradores e máquinas, se for o caso.

Para isso, defina uma unidade de medida (quantia de vendas em dinheiro, número de serviços prestados etc.) e um limite de tempo (hora, dia, semana, mês etc.).

O cálculo é simples: considere uma oficina especializada em alinhamento e balanceamento de pneus. Vamos supor que esses serviços, juntos, custam 200 reais.

Se em um dia inteiro (12h de funcionamento) funcionários e máquinas passaram oito horas realizando esses serviços em oito veículos, a produtividade da oficina é de um alinhamento + balanceamento por hora, logo a produtividade financeira é de R$1.600 por dia com esses serviços.

Indicadores de capacidade

Esse indicador, diferentemente do primeiro, vai medir qual a capacidade máxima de produção. Ainda no exemplo dos serviços de alinhamento e balanceamento, é possível analisar, de acordo com a performance de funcionários e máquinas e com a complexidade do trabalho, qual o tempo mínimo e máximo aceitável para a finalização dos serviços.

Equiparando indicadores de produtividade e capacidade, é possível pensar em ações para diminuir cada vez mais o tempo gasto na realização de processos sem perder a qualidade dos serviços. Dessa forma, a oficina produz mais e deixa tanto gestores quanto clientes bem satisfeitos.

2. Rotatividade de funcionários

Lembra daquele ditado “em time que está ganhando não se mexe”? Esqueça isso.

É preciso sempre melhorar processos e encontrar novas maneiras de motivar a sua equipe se você quiser ter sucesso no seu negócio. Um dos indicadores principais nesse sentido é o de rotatividade de funcionários.

Um alto índice de evasão na sua oficina pode indicar falhas na liderança, desvalorização dos colaboradores ou um clima organizacional insatisfatório. Além disso, a demissão de um funcionário causa sobrecarga em outros, o que poderá refletir no atendimento ao cliente.

É por isso, o cálculo de turnover é fundamental. Para fazê-lo, some o número de demissões ao de admissões e divida o resultado por dois. Depois, divida o novo resultado pelo número total de funcionários da sua oficina.

O número considerado ideal varia de acordo com o tamanho da empresa e o nicho de mercado, mas você certamente identificará, a partir desse cálculo, se algo errado está acontecendo.

3. Processos financeiros

Aqui estão um dos principais indicadores que você deve acompanhar na sua oficina. Isso porque qualquer empresa sem uma boa gestão financeira tem poucas chances de sobreviver.

É importante lembrar que nem sempre uma boa gestão de finanças corresponde apenas a pagar todas as contas. Isso porque, mesmo com resultados positivos, pode ser que ainda assim não sobre dinheiro no fim do mês.

Ponto de equilíbrio

Esse cálculo é feito com o objetivo de mostrar ao gestor qual o valor mínimo de faturamento necessário para custear os gastos operacionais da empresa. Dessa forma, é possível saber qual deve ser o faturamento mínimo mensal do negócio e a partir de quanto ele começa a dar lucro.

Para calcular o ponto de equilíbrio, use a seguinte fórmula:

[Custo Fixo / ((Receita – Custo Variável) Receita Total)] X 100

ROI

O ROI é uma siga em inglês que significa “retorno sobre investimento”. Ele serve para medir os rendimentos que foram obtidos a partir da injeção de recursos específicos na empresa. Por isso, ele pode ser calculado após a contratação de um funcionário ou de um novo maquinário, por exemplo.

Para calcular o ROI, a fórmula é a seguinte: subtraia o ganho obtido do investimento inicial, e depois divida o resultado pelo valor do investimento inicial. O novo resultado indica quantas vezes você obteve o retorno daquele montante investido.

4. Sucesso em vendas

Alguns indicadores podem ser analisados de acordo com o contato direto com o cliente. Um deles é o de sucesso em vendas, que analisa o índice de negociações bem-sucedidas realizadas pela empresa.

Para analisar esse aspecto estabeleça uma relação entre a quantidade de vendas fechadas e a quantidade de oportunidades recebidas no mesmo período. Assim, é possível indentificar onde houveram falahas de atendimento, de abordagem ou de precificação dos serviços.

Essa análise é muito importante se você deseja ter mais sucesso em vendas na sua oficina. A partir dos resultados obtidos você pode realizar treinamentos, aumentar a capacidade de produção e entrega e até melhorar as condições de pagamento.

5. Satisfação dos clientes

Esse indicador também é muito importante para um bom gestor de oficina. Isso porque clientes satisfeitos são a garantia de novos negócios.

Além disso, você certamente conquistará um cliente fiel, que irá voltar à sua oficina sempre que precisar de produtos ou serviços automotivos. Outro ponto positivo é que um cliente satisfeito pode indicar o seu negócio às pessoas que ele conhece.

Por isso, esteja aberto a feedbacks, críticas e reclamações. Melhorando os serviços dessa forma e se atentando aos indicadores, principalmente o atendimento, você conseguirá fidelizar clientes, se destacar da concorrência e vender mais.

Ainda vale lembrar que apesar de serem acompanhados de perto pelo gestor, esses indicadores devem ser responsabilidade compartilhada de toda a empresa. Isso porque eles são um reflexo da atuação de todos os funcionários.

Agora que você já sabe quais os principais indicadores que devem ser acompanhados na sua oficina, que tal curtir a nossa página no Facebook? Lá você encontra as melhores dicas e informações para ter sucesso no seu negócio.