Em meio à crise política e econômica que assola o país, uma boa gestão de oficinas mecânicas pode ser a melhor saída para manter o negócio forte, independente do tamanho da empresa.

Mas entender de mecânica automotiva e abrir uma oficina pensando só nas atividades operacionais pode não ser o suficiente para que o seu negócio tenha sucesso. É preciso se dedicar a uma gestão de oficinas mecânicas que vá além, e considere também as estratégias gerenciais.

Assim, mesmo que a sua oficina não tenha sido afetada pela crise, poderá estabelecer um plano de crescimento sustentável e desenvolver um diferencial competitivo forte diante de um mercado tão concorrido.

E, para isso, você deve evitar alguns erros que muitos proprietários de oficina cometem sem nem perceber. Então, continue lendo este post e conheça os oito principais erros da gestão de oficinas mecânicas!

1. Não separar as contas pessoais das empresariais

Esse erro é mais cometido por donos de pequenas mecânicas, mas não é difícil de ver acontecer também em empresas de médio e grande porte. E se trata de um dos motivos que mais contribuem para a falência das oficinas pelo país.

De fato, misturar as contas pode causar uma grande confusão na gestão de um dos recursos mais importantes para a sobrevivência da oficina: o dinheiro. E insistir nisso pode ser fatal para o negócio em um curto período de tempo.

Então, mude esse cenário definindo um salário fixo e/ou variável (percentual do lucro líquido) para você. E utilize uma planilha de orçamento familiar para controlar esse salário, deixando as contas da oficina fora disso.

2. Escolher os fornecedores errados

Muitos donos de oficinas acreditam que o cliente vai querer sempre o melhor preço. Mas, acredite: isso não é verdade. É claro que o preço conta, mas não é a coisa mais importante.

Com certeza, vários consumidores já tiveram experiências ruins quando escolheram as peças e serviços mais baratos tendo que pagar mais pelas escolhas erradas no final.

Por isso, o cliente vai querer equilibrar os valores com a qualidade, buscando estabelecer uma melhor relação custo-benefício. E, nesses casos, a escolha de um fornecedor que ofereça peças originais e de qualidade superior pode fazer toda a diferença para o negócio.

Além disso, é preciso atender as necessidades de variedade de estoque, com entrega rápida, e oferecer planos de pagamentos adequados para facilitar as compras.

Sem dúvida, não cometer esse erro será uma estratégia para a conquista da confiança e fidelização dos clientes, que poderão indicar sua oficina para amigos, conhecidos e familiares.

3. Não investir em infraestrutura

Entendemos que o orçamento disponível para investimentos é apertado, e muitos proprietários de oficina sequer têm um.

Mas manter uma oficina com uma estrutura envelhecida e ultrapassada pode pesar na imagem do negócio e gerar maiores esforços na execução de tarefas. Até porque o tempo para a manutenção dos veículos pode ficar maior, e o cliente pode nem voltar.

Além disso, as ferramentas e equipamentos envelhecem e se desgastam de forma natural — por uso adequado, ou não —, forçando a manutenção e renovação.

E não é só com as ferramentas e equipamentos que você deve se preocupar. O cliente também precisa ser bem recebido, tendo um espaço que sirva como sala de espera com alguns mimos (café, água, banheiro, Wi-Fi disponível gratuitamente, TV etc.). Pense nisso.

4. Não investir em qualificações

Se você é ambicioso e pensa em crescer o negócio, saiba que investir em qualificação profissional pode ser uma estratégia fundamental.

De fato, tanto o proprietário quanto os mecânicos, recepcionistas e outros colaboradores devem passar por cursos e treinamentos para se aperfeiçoarem, entregando um serviço de melhor qualidade para o cliente.

Contudo, muitos proprietários de negócios nesse ramo ignoram esse fator na gestão de oficinas mecânicas. Assim, acabam perdendo força competitiva com o tempo, se tornando apenas mais um em um mercado de alta competição.

5. Não controlar o estoque

Sem um plano de controle para o estoque, você comprará mais do que precisa por não saber exatamente o que tem. Ou, pior: não conseguirá prever períodos de sazonalidade, mantendo estoque desnecessário em períodos de baixa e deixando faltar peças em períodos de alta.

Em ambos os casos, perde-se muito dinheiro — o que pode afetar negativamente o negócio. Por isso, é essencial elaborar uma planilha de estoque e registrar o que se tem nele.

Indique o posicionamento para facilitar a busca, a quantidade de cada modelo, os valores de compra e de revenda, as datas de entrada e saída do estoque e quaisquer outras informações que considerar relevante.

Dessa forma, você terá uma ferramenta para economizar nas compras, manter somente o estoque necessários e prever demandas.

6. Precificação equivocada

É comum que muitos donos de oficinas mecânicas adicionem um percentual de lucro desejado sobre o valor de compra das peças antes de informar o preço aos clientes. Mas, e os custos e despesas embutidos nela?

Lembre-se de que você precisa pagar o aluguel do imóvel, pagar salários, contas de água, luz, internet, telefone etc. Além disso, e o frete da compra? Foi você que pagou ou foi “fere”?

E ainda é preciso considerar a média de preços praticados pelo mercado para garantir um preço nem muito alto — a ponto de perder vendas — e nem muito baixo — a ponto de sacrificar o lucro.

7. Falta de capital de giro

Como vimos, separar as contas pessoais das empresariais é importante para evitar a falta de dinheiro em caixa — mas isso não é tudo. É preciso ainda se esforçar um pouco mais, caso contrário, ficará difícil manter o negócio aberto.

A empresa precisa de recursos para caminhar com as próprias pernas em períodos de baixas e arcar com as contas e pagamentos, mesmo sem lucros no período.

Então, quanto tempo sua empresa sobreviveria sem lucros ou receitas suficientes para cobrir todos os custos e despesas? Se você ainda não pensou nisso, é bom começar agora!

Para ajudar, crie uma planilha de fluxo de caixa e registre todas as entradas (receitas) e saídas (despesas) de dinheiro.

Depois, alinhe as compras e pagamentos com as previsões de receitas para ter sempre dinheiro disponível. Faça também uma reserva de dinheiro para emergências e períodos de baixa.

8. Não divulgar

Por fim, um dos maiores segredos para alavancar o negócio é o marketing, a publicidade e a propaganda. Mas muitos ainda preferem depender apenas do marketing boca a boca, o que é pouco se comparado com o universo de possibilidades.

Então, caso queira se tornar referência na região onde atua, é bom começar a investir em divulgação. Você pode se surpreender com os resultados!

Enfim, ainda existem outros erros cometidos na gestão de oficinas mecânicas, mas esses são os que mais podem afetar o negócio. Agora que você já os conhece, faça uma análise do que pode ser melhorado e “arrume a casa”!

E aí, gostou do post? Comete algum desses erros na sua oficina mecânica? Deixe-nos o seu comentário e conte para a gente!