Se você trabalha ou tem uma oficina mecânica com certeza já teve alguma experiência negativa com o seu estoque, não é mesmo? Manter um estoque eficiente e que não dê problemas não é uma tarefa fácil. É necessário ser preciso na quantidade de peças a ser estocada para que esse fator não afete negativamente as suas vendas.

Por isso, neste artigo vamos abordar o tema de inventários rotativos em oficinas mecânicas. Explicaremos o que são esses inventários, como eles funcionam e qual é objetivo final de ter um em sua oficina. Também falaremos da importância deles e como isso pode reduzir o seu estoque e maximizar os seus lucros.

Por fim, vamos mostrar como você pode reconhecer a necessidade de ter inventários rotativos e quais são as vantagens que podem ser alcançadas com o seu emprego, como a identificação de problemas, aumento de eficiência, redução no impacto operacional, dentre outras.

Bateu uma curiosidade aí? Então continue conosco e descubra como aumentar a produtividade do seu negócio logo abaixo.

O que são e como funcionam os inventários rotativos?

O que todo dono de oficina busca é uma forma de controlar o seu estoque de maneira eficiente, onde o número de peças requisitado seja o mais próximo possível da demanda dos clientes e que as peças não fiquem muito tempo paradas no estoque.

Existem alguns métodos utilizados para conferir se a quantidade de peças apontada pelo sistema bate com o número de peças físicas que realmente estão em estoque. São eles:

  • inventário periódico;
  • inventário dinâmico;
  • inventário rotativo;
  • inventário por amostragem.

O inventário periódico é recomendado apenas para estoques muito pequenos, onde a verificação não vai gerar custos extras para o negócio. Como o próprio nome diz, ele é realizado periodicamente em intervalos pré-definidos e todos os itens do estoque são conferidos.

No inventário dinâmico os itens só são checados quando se atinge uma quantidade pré-definida daquele produto. Por exemplo, para os filtros de óleo será realizada a contagem toda vez que o sistema apontar que há apenas 5 itens em estoque.

O inventário por amostragem é uma opção para quem trabalha com estoques enormes e com uma rotatividade de peças de grande intensidade, de tal forma que a contagem de todos os itens seria uma ação inviável.

Por fim, temos o inventário rotativo, o método mais indicado para quem trabalha com oficinas mecânicas. Como no inventário periódico, este determina que a contagem também deve ser realizada periodicamente.

A diferença é que em vez de se determinar apenas um período para todas as peças, dividem-se as peças em três grupos distintos (A, B e C) de acordo com uma prioridade e cada grupo possui uma periodicidade diferente dos outros.

Você pode priorizar a verificação das peças por diferentes fatores, como:

  • popularidade (itens mais vendidos);
  • custos (itens mais caros);
  • lucratividade (itens com maior margem);
  • roubo (itens mais roubados/furtados);
  • defeitos (itens com maior taxa de defeitos).

A escolha final de qual fator deve ser priorizado é uma decisão que pode variar de negócio para negócio. O importante é avaliar qual desses fatores é o mais importante na sua operação e qual teria mais impacto caso ocorresse algum problema.

Dessa forma, vamos supor que para o seu negócio o fator popularidade seja primordial. Assim, as peças devem ser separadas em três grupos, onde no grupo A estão os itens com maior rotatividade e que devem ser conferidos com uma frequência maior.

No grupo B a frequência de verificação pode ser menor, tendo em vista que o fluxo de peças é menor do que o grupo A e assim por diante.

Qual a importância e os efeitos do emprego de inventários rotativos?

Como comentado no tópico anterior, o ideal é que se tenha um estoque com o mínimo de peças possível, mas que ao mesmo tempo essa redução não gere impactos negativos na operação e na venda dos itens da loja.

Assim, com o inventário rotativo é possível que se atinja uma exatidão e acurácia maior na contagem das peças, realizando pedidos apenas quando for identificada uma provável demanda. Além disso, com esse método é possível identificar erros na contagem que podem ocorrer nas seguintes ocasiões:

  • duplicidade nas solicitações de compra;
  • troca de códigos na entrada e saída de produtos;
  • saída ou entrada de produtos não registrada.

Se quisermos ir um pouco mais além, ao perceber que falhas estão ocorrendo na sua oficina o proprietário pode tomar medidas preventivas para evitar que elas voltem a acontecer, melhorando, assim, a eficiência da sua gestão de estoque.

Quais são os benefícios dos inventários rotativos?

Além dos pontos citados acima, existem outras vantagens que os inventários rotativos trazem para a gestão do seu negócio. Com a diminuição do seu estoque, alguns benefícios são diretamente gerados, como:

  • redução do capital investido em estoque;
  • otimização do espaço de armazenagem;
  • redução do custo de pessoal envolvido com a manutenção do estoque.

Uma quantidade menor de peças no estoque significa menos dinheiro parado. Isso significa que você poderá utilizar esses recursos em outros setores da sua empresa, como em uma expansão ou em estratégias de marketing mais frequentes e direcionadas a um público específico.

Muitas vezes não nos damos conta, mas reduzindo o estoque você pode aproveitar o seu espaço de uma maneira melhor, aumentando a sua área de interação com o cliente e portanto, fornecendo uma melhor experiência a ele.

Os custos com o pessoal também são reduzidos. São necessários menos empregados para realizar a checagem periódica dos grupos de peças.

Por fim, a principal vantagem é que a quantidade de material, peças e itens da sua loja estará muito bem ajustada às demandas dos compradores o que irá refletir em um aumento na satisfação do cliente e na lucratividade da sua empresa.

Quando devem ser realizados inventários rotativos?

Existem algumas opções para os momentos em que se é indicado realizar esse tipo de inventário, veja a seguir:

  • antes do recebimento de uma carga grande de peças;
  • depois do recebimento de uma carga grande de peças;
  • quando surgir uma forte demanda;
  • diariamente/ semanalmente/ mensalmente/ anualmente.

Como se pode observar, existem vários momentos onde se pode realizar o inventário rotativo, mas a ideia é que ele seja feito para garantir o controle e a acurácia do seu sistema de contagem de estoque.

A opção a ser utilizada vai depender do tamanho do seu negócio e do fluxo de peças. Tente definir bem a periodicidade de cada grupo de peças para não ter surpresas desagradáveis no futuro com os seus clientes.

Assim chegamos ao final deste artigo que apresentou o conceito dos inventários rotativos e mostrou como a utilização dessa técnica pode trazer benefícios para a sua oficina mecânica, reduzindo o seu estoque de autopeças e controlando-o de maneira eficiente.

Gostou de entender e conhecer um pouco mais sobre os inventários rotativos? Que bom! Então agora chegou a hora de aplicar essa mais nova prática em sua oficina para que ela se desenvolva ainda mais e lhe traga o retorno esperado. Aproveite e deixe um comentário neste post nos contanto o que você achou sobre esse assunto. Até breve!