A Certificação Inmetro atesta que um produto industrial qualquer foi produzido de acordo com as normas técnicas que garantem a ele qualidade em vários quesitos, sobretudo naqueles que dizem respeito à segurança. Por isso, é indispensável que as oficinas mecânicas só trabalhem com peças automotivas certificadas, garantindo que a clientela será atendida de maneira verdadeiramente confiável.

Neste artigo vamos verificar como é feita a Certificação Inmetro e avaliaremos outras informações relevantes sobre o assunto.

Confira!

O Inmetro

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) fiscaliza o cumprimento das normas técnicas e legais no que se refere às medidas, aos métodos de medidas e aos aparelhos de medição no Brasil. Nesse sentido, o órgão também observa os programas de avaliação de conformidade nas áreas de produção, de processos, de serviços e de pessoal que precisam seguir normas e padrões de procedimentos.

Em resumo, entre outras funções, cabe ao Inmetro verificar se os produtos industriais estão de acordo com os padrões estabelecidos no Brasil para atender às normas de segurança e de qualidade de materiais, entre outras.

Certificação Inmetro

A Certificação Inmetro ocorre em várias instâncias, atendendo às múltiplas necessidades de todos os setores da sociedade. Dessa forma, ela pode comprovar que um brinquedo é compatível para o uso de crianças em determinada faixa etária, ao mesmo tempo em que certifica o nível de consumo de energia de uma geladeira ou de uma lâmpada.

Ou seja, são várias as possibilidades de certificações do Inmetro e cada uma delas está relacionada a um setor produtivo ou de serviço.

A Certificação Inmetro de peças automotivas

Como parte do Programa de Certificação Compulsória de Componentes Automotivos, em 2011, o Inmetro publicou a Portaria nº 301, que aprova os requisitos de avaliação da conformidade para componentes automotivos. A mesma portaria instituiu a certificação compulsória desses componentes, que é realizada por instituições credenciadas pelo Inmetro.

Ou seja, a certificação é obrigatória para as autopeças previstas na portaria. O objetivo da emissão do certificado é inibir a produção de componentes falsificados que não atendem aos requisitos de segurança na produção e que geram um grande potencial de risco de acidentes por falha no funcionamento ou por quebra.

Na Portaria nº 301, foram contemplados itens destinados ao mercado de reposição, considerando

  • os amortecedores da suspensão;

  • as bombas elétricas de combustível para motores do ciclo otto;

  • as buzinas ou equipamentos similares utilizados em veículos rodoviários automotores;

  • os pistões de liga leve de alumínio;

  • os pinos e anéis de retenção;

  • os anéis de pistão;

  • as bronzinas e

  • as lâmpadas para veículos automotivos.

As certificações para vidros temperados e laminados de para-brisas, para pneus e para rodas automotivas já haviam sido regulamentadas anteriormente.

Os testes em laboratório

Para receberem a Certificação Inmetro, os produtos são submetidos a uma série de testes em laboratório, considerando a natureza de aplicação de cada um deles e também outros critérios que transcendem essa natureza. Assim, no caso dos componentes automotivos, são observadas as finalidades que eles cumprem em um veículo, testando a capacidade que eles têm de atender aos vários critérios de resistência e durabilidade.

Os testes realizados pelos organismos certificadores vão além das condições de uso comum, levando os componentes a situações extremas. Assim, é possível assegurar que uma peça não só é capaz de atender à finalidade corriqueira para a qual foi projetada, como também pode se manter em boas condições em casos excepcionais.

Os amortecedores, por exemplo, são testados em máquinas que simulam as condições normais de uso, como também aquelas que podem ocorrer eventualmente, quando o veículo passa em um buraco ou por outro obstáculo qualquer.

Porém, não é testada apenas a conformidade no funcionamento dos componentes. Os laboratórios de teste analisam também outros aspectos relacionados ao tempo de uso e à resistência à ação de elementos da natureza e até aqueles que dizem respeito à fixação das peças.

Nos amortecedores que tomamos como referência, além do funcionamento dos componentes, são avaliadas muitas outras questões. Por exemplo, em um laboratório, é pulverizada uma névoa salina sobre as peças, simulando a corrosão que o componente pode sofrer da maresia. Em outro, os amortecedores são submetidos à tração, a fim de verificar a resistência do conjunto e quantos quilos ele é capaz de suportar antes de estourar.

São muitos testes e todos eles levam os componentes até situações-limite, nas quais eles são danificados e perdem as funções de uso. Dessa forma, os componentes são destruídos para que os pesquisadores entendam até onde eles podem chegar sem perder a funcionalidade.

Análise dos resultados e certificação

A partir dos testes realizados os laboratórios certificadores credenciados pelo Inmetro conseguem obter uma série de informações sobre os componentes testados. Todas essas informações são comparadas com os parâmetros estabelecidos pelas várias normas seguidas no Brasil e que obedecem a critérios internacionais.

Com isso, é possível concluir se um determinado componente está em conformidade com o padrão de qualidade exigido. Se estiver, ele é certificado.

Lotes de componentes

Porém, é preciso considerar que o processo de produção de um determinado componente pode sofrer a influência de uma série de fatores que dizem respeito à qualidade da mão de obra empregada e dos equipamentos e da matéria-prima utilizados. Assim, é possível que de um lote para outro um determinado item perca a qualidade certificada, o que deve ser evitado.

Para tanto, cada vez que a indústria produz um lote de determinado componente, ela deve enviar uma amostra significativa dos itens para novos testes no laboratório certificador. O tamanho da amostra também é definido pelo Inmetro e é suficiente para garantir que todo o lote esteja em conformidade com as normas estabelecidas.

Dessa forma, é possível assegurar que uma determinada autopeça certificada estará sempre em conformidade com os melhores padrões de qualidade estabelecidos.

Qualidade

Aliás, a qualidade é o que as autopeças certificadas têm a oferecer. Assim, a oficina mecânica que só trabalha com componentes que têm a Certificação Inmetro pode garantir aos clientes que utiliza somente produtos confiáveis, que garantem a segurança e a durabilidade dos veículos.

Com isso, além de atender a uma obrigação legal, a oficina pode ter certeza de que a clientela que ela atende está recebendo o que há de melhor e mais seguro no mercado.

Não tenha dúvida: agindo assim, você estará no caminho certo para manter o seu cliente satisfeito!

Agora que você já sabe como é feita a Certificação Inmetro, que tal preencher o formulário no alto da página para assinar a nossa newsletter? Assim, você sempre ficará por dentro das nossas atualizações e receberá informações do seu interesse!