O chicote elétrico é uma peça responsável para conduzir toda a energia do veículo, principalmente, as informações aos outros elementos de destino. Ele é considerado como um ilustre desconhecido, por ficar escondido em meio a tantos outros elementos.

Apesar disso, todos reconhecem a importância que essa peça tem para o perfeito funcionamento de um veículo. Por esse motivo, resolvemos escrever este artigo. Nele, mostraremos os principais danos que ocorrem no chicote elétrico e apresentaremos algumas dicas de como solucioná-los. Acompanhe!

Quais são os principais tipos de chicote elétrico?

Inicialmente, você precisa saber que existem diversos tipos de chicotes elétricos utilizados em toda a mecânica de forma geral. Muitos deles não têm relação alguma com os componentes de um veículo.

Por exemplo, além do chicote automotivo, existem os prediais, utilizados em residências para transportar as informações e cabos de eletricidades pelos imóveis. Existem ainda os agrícolas e aqueles usados em equipamentos de automação.

Um chicote elétrico veicular pode ter incríveis 700 metros de comprimento, se considerarmos todos os cabos que o compõe. Além disso, ele tem várias cores, necessárias para que o mecânico possa identificar a função de cada um.

Conhecer todos os problemas que esse elemento pode causar é de grande valia para o seu empreendimento. Isso porque, é muito comum as pessoas procurarem uma oficina mecânica com esse tipo de defeito e os mecânicos não saberem, exatamente, o que está acontecendo. Ao conhecer bem essas questões, você poderá oferecer soluções mais específicas para os seus clientes, aumentando o grau de satisfação entre eles.

Quais são os problemas e soluções dessa peça?

Agora que você entendeu quais são os tipos de chicote elétrico, vamos mostrar os principais problemas que podem vir a ocorrer com esse elemento, bem como, as formas de solucionar cada um deles. Acompanhe!

Cabos desconectados

Um dos problemas mais comuns que podem acontecer é a falta de conexão entre o cabo e a caixa elétrica ou o local de conexão de destino dele. Quando isso ocorre, a solução encontrada pode ser muito simples. Basta reconectar o cabo.

No entanto, de acordo com o local em que houve a interrupção, pode ser um pouco mais complicado. Em casos mais complexos, o mecânico deve levantar o veículo e remover algumas peças para ter acesso a determinada parte do chicote.

Rompimento interno

O rompimento interno ocorre quando algum cabo se deteriora. Esses elementos, geralmente, são feitos em cobre e envoltos a uma camada de plástico que serve para a sua proteção. Entretanto, não raro, devido ao tempo de uso, essa película protetora pode se romper e gerar uma quebra no cabo.

Quando isso ocorre, a solução é identificar o fio que foi quebrado e fazer a troca. Nesses casos, é necessária a remoção de todo o material para a instalação de um novo. Na ocasião, pode ser analisado o risco de outros cabos se romperem com o passar dos meses.

Mau contato

O mau contato, geralmente, causa problemas transitórios na parte elétrica do veículo. Entretanto, alguns deles podem deteriorar severamente outros elementos do carro, sendo assim, é vital a sua correta manutenção o quanto antes.

Ele pode ocorrer por diversos fatores, como a má conexão entre as extremidades do cabo, bem como, a sua deterioração, como mencionamos no tópico anterior. Independentemente da causa ou dos sintomas que o carro sofreu, a manutenção desse problema é parecida com o rompimento interno.

Quando o cabo está com problema, a troca é necessária. No entanto, em muitos casos, um simples ajuste na conexão das extremidades pode resolver o problema.

Excesso de contato entre diferentes tipos de fios

Em outro tópico deste artigo, mencionamos que a proteção externa de cada fio pode se deteriorar com o passar do tempo, causando problemas em um ou mais cabos do chicote elétrico. Entretanto, existe outro problema que pode ocorrer com essa deterioração.

Quando ocorre esse mesmo fato em vários fios de forma simultânea, é possível que eles entrem em contato uns com os outros. Como o sistema que eles carregam são completamente distintos, essa junção pode prejudicar o seu funcionamento, bem como, o de outros elementos dentro de um mesmo veículo.

A manutenção, nesses casos, requer a troca de todos os cabos danificados, possibilitando que as informações passem livremente por eles, sem sofrer contatos ou influências de cabos de outros sistemas dos veículos.

Problemas internos no cabo transmissor

Alguns problemas também podem atingir o cabo do transmissor. Quando isso ocorre, vários elementos deixarão de funcionar ou serão prejudicados. Nessas situações, o passo a ser dado é fazer a troca do mesmo.

No entanto, assim como outras manutenções no chicote, podem existir algumas dificuldades para acessar a peça em determinados locais do veículo. Em alguns casos, é necessário fazer a remoção de outros elementos, suspender o veículo e mover peças de lugar para acessar o local específico do problema.

Problemas eletromagnéticos

Outro problema gerado no chicote elétrico do veículo pode ter relação com os seus sistemas eletromagnéticos. Alguns deles podem gerar interferência ao entrar em contato com outros cabos desencapados ou mau conectados.

Com isso, alguns sistemas podem ter um mau funcionamento ou, simplesmente, pararem de funcionar. A solução para isso deverá passar pela troca das peças eletromagnéticas que estão divergindo com o chicote ou, em alguns casos, será necessário remover o mesmo e verificar se existem cabos que possam estar comprometendo o funcionamento desse elemento. Nesses casos, os problemas podem ter como causa ambos os elementos, ou seja, um pode gerar problema no outro.

Portanto, sempre que um cliente chegar em sua oficina com problemas, aparentemente, inconvencionais ou estranhos, sempre desconfie do funcionamento do chicote. A maioria dos casos em que, luzes não acendem, ventilador não liga ou outras questões mais simples, podem estar relacionadas a algum dos problemas que mencionamos ao longo deste artigo.

Conhecendo bem esses problemas, bem como, as soluções aplicáveis, você poderá atender bem a todos os clientes que aparecerem em seu estabelecimento com problemas no chicote elétrico de seus veículos. Além disso, você pode oferecer mais um serviço para eles, o que pode aumentar o seu faturamento e lucratividade.

Gostou do artigo de hoje, que tal continuar aprendendo mais dicas para aplicar em seu negócio? Então, confira nosso post sobre algumas estratégias para economizar óleo em sua oficina. Até a próxima!