Não só dos serviços e vendas de peças vive uma oficina. É preciso tomar conta de outras atividades que estão diretamente relacionadas com o sucesso e também crescimento do negócio.

Uma área que muita gente deixa de lado é o marketing, e você não pode ser mais um a fazer isso. Olhando para os clientes e buscando fazer com que a empresa tenha mais chances de aumentar o faturamento, ele trata da comunicação estratégia de vendas, pós-venda, fidelização, promoções e outros aspectos fundamentais para a sua oficina e você ganharem mais.

Para conseguir organizar melhor o seu negócio é preciso ter um bom plano de marketing. Para facilitar as coisas, montamos algumas dicas especialmente pensando na sua oficina.

1. Definir o público-alvo

Há quem pense que oficina de carro atende clientes que são sempre iguais, ou seja, aqueles proprietários de veículos que têm algum serviço a ser feito, reparo ou melhoria no próprio automóvel.

Contudo, a coisa não é bem assim. Existem vários tipos de clientes e você tem que entender bem qual é ou quais são os seus. Talvez você possa estar mais focado em atender particulares que queiram somente fazer uma revisão básica. Pode ser também que receba mais pedidos de lanternagem, veículos à diesel ou, ainda, que esteja focado em clientes corporativos.

O fato é que algum tipo de serviço e perfil de atendimento é mais específico em sua oficina. Talvez até seja mais de um. O importante é que você tem que saber personificar esse público.

Tente descrever seu tipo de cliente mais habitual, aquele que é o padrão na sua rotina. Esse perfil é o seu público e você provavelmente tem que fazer o seu plano de marketing pensando nele.

Nada impede também de você desenhar um planejamento para buscar outro público-alvo, tentando mudar ou aumentar a clientela da oficina. Nesse caso tem que ter bem claro na sua cabeça o que pretende fazer para chegar e manter cada um deles.

2. Avaliar a concorrência

Na hora de trabalhar o seu marketing é bom também dar uma olhada na concorrência. Confira o que e como ela anda fazendo. A ideia aqui não é copiar o que as outras oficinas têm feito, mas entender como elas estão buscando atrair e manter os clientes.

Pesquise se elas estão realizando promoções, se há algum tipo de atendimento diferenciado, formas de relacionamento e até programas de fidelização como descontos progressivos ou coisas do tipo.

Depois de conferir o que o mercado anda oferecendo, veja o que acha que faz sentido e pode ser útil no seu planejamento. Tente perceber como você pode melhorar alguma ideia que tenha visto e procure também identificar erros dos outros para que você também não caia nos mesmos problemas.

3. Fazer um planejamento

Depois que você já avaliou quem é o seu o seu público-alvo e já tem algumas possíveis ideias do que fazer e também do que não fazer, é hora de começar a traçar um planejamento.

Veja qual a sua verba disponível e tente listar ações que pode fazer, sempre se lembrando de anotar ao lado o investimento em cada uma. Dessa forma, você não estoura o seu orçamento e também não fica frustrado ao perceber que alguma coisa vai ter que ficar de fora.

Se quiser fazer um fundo de marketing, estabeleça um valor em dinheiro ou um percentual do seu faturamento líquido (já descontados os impostos) para garantir que, pelo menos, haverá um dinheiro separado para essas ações todo o mês. Ainda que não seja muito, essa verba garantida vai ajudar você a não deixar o seu marketing morrer.

Consciente do quanto você pode investir e sempre pensando o seu cliente, vá anotando as ideias para escolher quais e quando vai colocar cada uma delas em prática.

Caso você acredite que alguma dessas ideias, apesar de ser mais cara, valha a pena, espere acumular um pouco da sua verba para tirar os planos do papel. De toda forma, busque ter sempre alguma ação de marketing acontecendo. Pode ser uma mala direta para os clientes, uma promoção divulgada nas redes sociais ou qualquer outra coisa do tipo.

4. Detalhe o seu cronograma e verbas

Para não perder de vista o seu planejamento, faça um cronograma sempre anotando quanto tem ainda da verba.

Se você fizer um planejamento com várias ações interessantes, mas não tiver datas bem pensadas, o seu marketing não vai sair do papel, mesmo com atividades que não requerem nenhum tipo de dinheiro, como fazer parcerias com empresas próximas a sua oficina e que tenham frotas comerciais.

Sendo assim, crie um controle que pode ser mensal ou semanal, indicando o que será feito para manter o seu plano de marketing em operação.

Depois de um tempo, esse tipo de atividade vai ser agregado à sua rotina e aí você terá um marketing ativo de verdade.

5. Monitore os resultados e revise as suas ações

O plano de marketing não termina depois que você colocou tudo para funcionar. Na verdade, ele pode até ter fases diferentes e uma mudança de foco, mas não pode parar.

Para que o seu marketing seja eficiente e realmente ajude a oficina é primordial que você monitore os resultados. Caso eles não estejam adequados, vai ser necessário fazer algumas alterações. Se, por outro lado, estiver funcionando, mais um motivo para manter tudo rodando.

Uma das formas mais fáceis e práticas de medir o resultado do marketing é avaliar o volume de vendas e de serviços. Se você passou três meses fazendo ações para divulgar uma promoção voltada para um determinado serviço e depois desse tempo todo não viu nenhuma diferença no volume de vendas deste serviço em particular, quer dizer que a forma que você está utilizando precisa de uma revisão.

É sempre bom também conversar com os clientes. Eles naturalmente tenderão a dar dicas do que andam precisando, de como se sentiriam estimulados a voltar e se dão mais valor a promoções que baixam preços, serviços mais rápidos, garantias das peças ou coisas do tipo. Investigue o que é importante para o seu público-alvo.

Tomando todos os cuidados que listamos acima, o seu plano de marketing terá muito mais chances de funcionar bem e a sua oficina ter resultados mais interessantes no final do mês.

Aproveite agora para conferir outra matéria que pensamos especialmente para você: Porque é importante ter uma boa gestão de notas ficais e como fazer isso?