O setor automotivo precisa estar sempre atento às inovações. Essa indústria vive uma era de grandes mudanças — processamentos irreversíveis: os veículos elétricos são um deles. Será que esses novos carros vão usar correia dentada? O mais adequado é não ter dúvidas, pois às vezes pode custar muito caro. É necessário ficar atento!  A qualquer momento pode ocorrer a quebra da correia dentada.

Para que isso não ocorra, é necessário saber: o que é? Para que serve? Existe tempo certo para trocar essa correia? Quais os cuidados que você deve tomar para evitar essa quebra? Como funciona? Você quer descobrir mais sobre esse assunto? Continue lendo!

O que é correia dentada?

A correia dentada é aquela parte de grande significado e importância para o motor. É uma peça que não pode quebrar, pois os prejuízos serão imensuráveis. Trata-se de uma corrente que permite todo o seu desempenho, tendo como função ligar o comando de válvulas ao virabrequim ou árvore de manivela — o que faz com que as explosões da queima de combustível possam movimentar o carro.

Qual a sua função?

Com a função de sincronizar — cada registro abre e fecha em espaços de tempo exatos, de acordo com o movimento feito pelos pistões — uma peça que faz parte do mecanismo de funcionamento de um motor, os dentes da correia ajudam a coordenar essas funções, estabelecendo uma engrenagem sistemática, porém essencial para que o carro se movimente.

Quando a correia dentada se fragmenta, o sincronismo é perdido e os pistões podem colidir com as válvulas, avariando todo o sistema e interrompendo o desempenho do motor. Ela merece cuidados especiais por ser tão importante. Rodar com a correia gasta pode gerar sérios prejuízos, como o empeno de válvulas e a necessidade de retífica do cabeçote, o que em um carro motor 1.0 poderá ter um custo acima de R$ 1,3 mil ou mais.

Quais os principais tipos?

A indústria automotiva trabalha com a finalidade de oferecer produtos de qualidade para o setor automobilístico. As novas tecnologias garantem a fabricação de novos e inovadores materiais resistentes e flexíveis ao choque.

Atualmente no mercado podemos encontrar empresas especializadas em reposição de peças para o seu automóvel, garantindo qualidade e segurança. Essas organizações estão investindo em seus empregados — garantindo uma equipe de profissionais competentes — e também em equipamentos de alta tecnologia para melhor atender seus clientes.

Quando temos certeza de bons fornecedores de peças para o nosso carro, ficamos mais tranquilos e essa garantia de encontrarmos bons serviços e profissionais capacitados é essencial para a vida útil do nosso veículo. Quando levamos o carro em uma oficina e o mecânico diz: “está na hora de trocar a correia do motor de seu carro”, imediatamente pensamos na correia dentada.

Mas, existem outros tipos de correia. Além da correia dentada temos correia do alternador, correia do ar-condicionado e correia da direção hidráulica. Vamos ver para que serve cada uma?

Correia dentada

Observamos que a correia dentada é a correia mais famosa. É ela que faz a fusão entre o eixo-comando de válvulas e o virabrequim do motor, sincronizando-os e fazendo com que os registros de admissão e de escoamento se abram e fechem no instante exato.

No caso de sua fragmentação ou ruptura, o motor não só deixa de trabalhar, como também há probabilidades de peças serem avariadas sem reparação.

É orientado revisar de seis em seis meses o kit do motor. Sua troca vai depender do seu estado, porém é indispensável substituir entre 30 mil e 40 mil quilômetros rodados.

Pode-se perceber alguns indícios ou sinal de alguma coisa quando algo está errado com a correia dentada, como barulho vindo do motor, se a cinta está solta ou desgastada; carro não dá partida; calefação do motor.

Correia do alternador

O alternador é o encarregado por produzir energia para a bateria do carro e a correia do alternador tem a função de colocar o alternador em ação. Se ela arrebenta, a bateria não vai gerar carga e, sem bateria, o carro não anda.

Porém, se o caso não for de quebra, mas o alternador prosseguir apresentando dificuldade para carregar a bateria, o assunto pode ser simplesmente ausência de ajustamento da correia.

Pode ser solucionado rapidamente: solte um pouco os parafusos do item com problema, impulsione-o com a alavanca, esticando a correia, e reaperte os parafusos.

É importante proceder uma revisão da correia a cada 10 mil quilômetros e sua substituição deve ser feita a cada 20 mil rodados. Quando alguma coisa está acontecendo com a correia do alternador a luz da bateria é ligada no painel e há dificuldade em dar a partida no carro.

Correia do ar-condicionado

A correia do ar-condicionado é encarregada de posicionar o compressor do sistema em movimento. Ela é ligada ao motor do carro. Ao ligar o ar-condicionado do carro, a correia entra em funcionamento, possibilitando a diminuição na temperatura da cabine. Se ela romper, o ar para de funcionar. Sua troca é recomendada a cada 50 mil km rodados.

Quando algo está errado com a correia do ar-condicionado ele simplesmente para de funcionar.

Correia da direção hidráulica

Esta correia tem como objetivo ligar a bomba hidráulica que envia fluido para a caixa de direção, fazendo com que o peso do volante seja menor durante as manobras. O seu rompimento não causa graves danos, a direção continua funcionando, porém fica mais pesada.

Recomenda-se revisão aos 10 mil km rodados e a troca não deve passar do 20 mil km rodados. Não estoque correias, pois elas ressecam com o tempo. Portanto, deixe para comprar quando chegar a hora certa.

Para evitar transtornos, faça uma revisão preventiva! É muito importante, pois, diferentemente da correia dentada, as auxiliares não ficam tão protegidas contra as ações da poeira e da ventilação. O desgaste acaba diminuindo a durabilidade.

Você percebeu a importância de uma correia dentada e quando ela deve ser substituída? Agora que você sabe mais sobre o assunto, entre em contato conosco, somos uma empresa especializada em peças para o seu carro!