Os serviços realizados em oficinas mecânicas produzem uma grande quantidade de resíduos todos os dias, como pneus inservíveis, óleo lubrificante usado, embalagens plásticas e todo o tipo de peças e acessórios que precisam ser descartados devidamente. Sendo assim, é fundamental que o gestor da autopeças tenha uma estratégia de gestão de resíduos bem estabelecida em seu negócio. Afinal, esse tipo de material exige uma destinação ambiental adequada, além de separação e acondicionamento especial.

Dado esse contexto, no conteúdo de hoje mostraremos tudo o que você precisa saber para fazer uma boa gestão de resíduos em sua oficina mecânica. Quer saber mais sobre o assunto? Então não deixe de conferir a leitura deste artigo!

O que é Plano de Gestão de Resíduos Sólidos?

Também conhecido pela sigla PGRS, o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos diz respeito a um documento técnico, que tem o objetivo de identificar a quantidade e a tipologia do surgimento de cada substância residual, além de indicar as maneiras ambientalmente adequadas para seu manejo nas etapas de:

  • acondicionamento;
  • transporte;
  • transbordo;
  • tratamento;
  • reciclagem;
  • destinação;
  • e, é claro, disposição final.

Por que é importante implementar o PGRS?

A seguir, mostramos os benefícios que você terá ao implementar o PGRS na sua oficina mecânica. Acompanhe!

Reduz custos para a oficina

Todo o processo de elaboração, implementação, execução e monitoramento de um plano de gestão de resíduos está diretamente ligado à contribuição da redução de gastos em uma oficina. Nesse sentido, é possível afirmar que haverá diminuição dos custos com:

  • a destinação dos resíduos: um dos principais objetivos do PGRS é diagnosticar pontos potenciais de excessividade de geração de resíduos, além de propor medidas para reduzi-las e segregá-las corretamente;
  • os processos (matéria prima): por realizar o monitoramento, o PGRS também ajuda a diagnosticar e criar indicadores de performance e desperdícios de materiais durante o processo de produção (no caso da oficina mecânica, realização dos serviços prestados);
  • os equipamentos e funcionários: quando realizado corretamente, o PGRS é capaz de determinar aspectos como quantidade, tipo, tamanho e localização das lixeiras para armazenamento temporário dos resíduos, além de estabelecer a quantidade de profissionais necessários para fazer a gestão deles.

Otimiza a organização e o aproveitamento do espaço

Cada tipo de resíduo tem um volume de geração e metodologia para destinação final específica (tratamento, aterro sanitário, aterro industrial, coprocessamento, reciclagem etc.), o que pode fazer com que com alguns deles permaneçam na empresa por um longo período.

O plano de gestão de resíduos visa determinar o melhor ambiente para armazená-los, além de estabelecer a periodicidade ideal para que sejam coletados, contribuindo diretamente com a liberação do espaço físico e organização do estabelecimento.

Minimiza riscos de acidentes e melhora a higiene

Quando a gestão de resíduos é feita com responsabilidade e eficiência, ela promove a minimização dos riscos de acidentes no ambiente laboral, já que para cada tipo de resíduo há um determinado método de manuseio, rota de transporte interno e externo, EPIs a serem utilizados, ambiente de armazenamento e horário para coleta e destinação.

Já em relação à higiene, a execução do PGRS está diretamente associada à redução da proliferação de vetores e do mau cheiro na oficina mecânica. Fator que influencia também no índice de satisfação dos clientes ao visitarem o estabelecimento físico.

Reduz e controle os impactos ambientais

O fato do plano de gestão de resíduos ajudar a diminuir a geração de substâncias sólidas dentro da oficina mecânica, além da segregação e destinação final correta delas, são aspectos que contribuem de forma direta com o controle e redução dos impactos no meio ambiente, decorrentes das atividades humanas.

Melhora a visibilidade e credibilidade da empresa

Uma gestão de resíduos eficiente melhora a credibilidade do negócio diante de seu mercado de atuação, assim como perante os órgãos fiscalizadores. Isso também contribui com a agilidade dos processos de renovação da licença ambiental e reduz os riscos da empresa receber multas.

Como fazer a gestão de resíduos da oficina mecânica?

Para ter acesso a todos esses benefícios proporcionados pelo PGRS é preciso colocar algumas ações em prática. Saiba quais são elas!

Tenha toda a documentação legal exigida

O primeiro passo é ter toda a documentação exigida pelos órgãos regulamentadores em dia, como:

  • Coleta Seletiva de Resíduos (papel, plástico, metal, vidros, materiais orgânicos);
  • Alvará de Funcionamento;
  • Licença de Operação Ambiental;
  • Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB);
  • Certificado de Dispensa Ambiental;
  • Descarte de produtos contaminantes (óleos, fluídos, bateria, chumbo, lâmpadas etc.).

Pratique a política de logística reversa

De acordo com artigo 3, parágrafo 12, da Lei 12.305, a logística reversa é uma ferramenta de desenvolvimento social e econômico, caracterizada pela união de procedimentos, ações e metodologias destinadas a viabilizar a coleta e restituição de resíduos sólidos no setor empresarial, com o intuito de reaproveitá-los em seu ciclo produtivo ou em outras destinações finais ambientalmente adequadas.

Por logística, entendemos que é um conjunto de estratégias e ações que visam produzir e entregar os serviços de uma empresa de maneira barata, ágil e eficiente aos consumidores, correto?

Sendo assim, a logística reversa é o conjunto de estratégias que têm o objetivo de recolher todos os resíduos, substâncias e materiais utilizados nas etapas de comercialização, também, de maneira barata, ágil e eficiente.

Para isso, dois agentes são os protagonistas do processo: o fornecedor ou fabricante e o distribuidor dos serviços (no caso, sua oficina mecânica). Ambos têm a responsabilidade de entregar os produtos aos consumidores, não é verdade?

Para que a logística reversa funcione corretamente em seu plano de gestão de resíduos, considere:

  • adicionar a coleta à rota de entrega: até mesmo o trajeto de recebimento dos materiais e produtos podem ser aproveitados para o recolhimento dos pneus, peças e outros acessórios descartados;
  • classificar os itens por categorias: é uma técnica simples e comumente utilizada em empresas de variados segmentos, mas bastante eficaz na hora de fazer a gestão de resíduos em sua oficina mecânica;
  • envolver os colaboradores nos processos de descarte, separação e destinação dos resíduos: invista em treinamento e capacitação para que os seus funcionários estejam aptos a lidar com os processos cotidianos em uma estratégia de gestão de resíduos.

Como você pôde conferir neste artigo, o planejamento de gestão de resíduos é um procedimento que deve envolver todas as etapas de produção e desenvolvimento dos serviços oferecidos pela oficina mecânica. E apesar de parecer complexo, ele pode oferecer uma vasta gama de benefícios para a empresa.

Agora que você já conhece as melhores práticas para otimizar a gestão de resíduos de sua oficina mecânica, saiba também o que é preciso para torná-la mais sustentável!