Em sua oficina, quando um cliente chega para fazer um serviço de pintura automotiva, você faz a remoção do motor do veículo? Essa é uma prática não muito comum nos estabelecimentos, apesar de ser altamente recomendada.

No artigo de hoje, vamos mostrar os principais tipos de pintura, as mais escolhidas pelos clientes e a importância de remover o motor para realização do serviço. Além disso, você vai aprender outras boas práticas relacionadas ao tema. Acompanhe!

Quais são os tipos de pintura automotiva mais comuns?

Inicialmente, temos a pintura sólida. Esse tipo é o mais básico que existe no mercado e é utilizado em muitos veículos atualmente. De forma geral, as cores mais utilizadas no procedimento são o branco, o preto e o vermelho.

O material utilizado nesse tipo de pintura é a tinta a base de poliéster ou poliuretano, sendo que a primeira necessita de aplicação de verniz — o que não é necessário no segundo tipo. Essa pintura é mais simples, barata e fácil de ser feita. Sendo assim, na maioria dos casos, nem mesmo as concessionárias cobram valores adicionais daqueles que contam com a pintura sólida.

Outro tipo de pintura automotiva muito comum é a metálica. Essa é um pouco mais cara, porém, o resultado final também costuma ser mais atrativo. A tintura utilizada contém pigmentos de alumínio em sua composição. Esse material faz com que a pintura apresente um reflexo mais intenso e cores mais vivas. Apesar de ser superior à sólida, esse tipo de pintura tem custos adicionais e outros cuidados especiais na hora da pintura.

Outra opção menos comum é a pintura perolizada. Ela é composta por um elemento chamado “base de mica” (um tipo de pigmento mineral) e pó de pérola. Dos três tipos, nem precisamos afirmar que a pintura automotiva perolizada é a mais cara, entretanto, também é a mais vistosa.

Qual é a pintura automotiva preferida dos clientes?

Com relação à preferência dos clientes, isso vai depender muito da categoria do carro e do grau de qualidade na pintura que o proprietário deseja. Entretanto, o tipo de pintura mais comum nas oficinas mecânicas é a sólida. Em seguida, podemos destacar como segundo lugar a pintura metálica que, no caso, é utilizada em veículos mais caros ou luxuosos.

Como executar um bom serviço de pintura?

Agora que você descobriu quais são os tipos de pintura mais comuns nos veículos brasileiros, vamos mostrar algumas práticas que você pode adotar para realizar um bom trabalho dentro da sua oficina. Continue lendo!

Lavagem e polimento

O primeiro passo para realizar uma boa pintura automotiva é a lavagem geral do veículo. Isso é fundamental para evitar que fiquem alguns pigmentos, poeiras ou outro tipo de sujeira que pode comprometer o resultado após a secagem da tinta.

Apesar de ser um procedimento mais avançado dentro do processo, o polimento também merece um destaque especial neste artigo. Ele deve ser feito com muita cautela, pois, durante esse processo, será retirada uma pequena quantidade de tinta do veículo. Uma falha nessa etapa coloca todo o trabalho em risco, tendo que repetir o que já foi feito, gastando o dobro de mão de obra e material da sua oficina.

Cabine de pintura

Você também precisa ter uma boa cabine de pintura. Essa divisão será necessária para evitar que a tinta e demais elementos utilizados no processo vazem para outros setores da sua oficina e acabem prejudicando os outros colaboradores.

Além disso, é fundamental que a cabine tenha uma boa ventilação que possibilite a dissipação dos odores e vapores da tinta e verniz utilizados, além de outros produtos. Vale lembrar que estamos tratando de materiais químicos que podem trazer danos à saúde dos seus colaboradores!

Aerógrafo de ação dupla

O aerógrafo é uma ferramenta essencial no processo de pintura automotiva. Para obter ainda mais qualidade, opte por um que tenha ação dupla e que possa ser regulado ou ajustado para realizar micropinturas.

Lanternagem ou funilaria

A lataria deve ser minuciosamente avaliada a fim de verificar se não existem amassados ou arranhões profundos que podem prejudicar a pintura do carro. Isso porque um veículo pintado recentemente costuma denunciar as imperfeições na lataria.

Sendo assim, tome bastante cuidado com pequenos amassados, pois eles vão ficar evidenciados após a finalização do serviço e, principalmente, da secagem da tinta. Por isso, se for necessário, deve ser feita a avaliação de uma possível lanternagem ou funilagem no veículo antes de partir para a pintura automotiva.

Lixamento

O lixamento é um processo que tem diversas técnicas e materiais. Sendo assim, é importante que você aprenda sobre os mais variados tipos de lixa para realizar bons trabalhos de pintura automotiva. Cada veículo poderá utilizar um tipo de lixamento diferente, então é importante que sua oficina esteja preparada para todos eles.

Tipos de tinta

Também tenha muito cuidado com o tipo de tinta utilizada. Tenha a certeza de contar com boas marcas de fornecedores confiáveis. Assim, você evita executar um trabalho com qualidade inferior ou até mesmo perder o cliente devido ao serviço com pouca durabilidade.

Por que retirar o motor do veículo na hora da pintura?

Agora, vamos voltar ao assunto que mencionamos no início deste artigo. Você retira o motor na hora de fazer a pintura do veículo? Se não faz isso, saiba que está cometendo um erro gravíssimo que, além de prejudicar a qualidade do serviço, também está colocando em risco o funcionamento do motor do automóvel.

A retirada do motor é uma etapa fundamental no processo de pintura e você precisa fazê-lo. Isso porque, sem retirar essa parte do carro, você não vai conseguir pintar o local de maneira correta sem que a tinta atinja o motor.

Em segundo lugar, os produtos químicos utilizados no processo de pintura podem prejudicar o motor do veículo. Como o método não consegue ser tão direcionado e a própria aplicação dos materiais libera gazes e resíduos, é muito provável que eles acabem sendo absorvidos pelo motor.

Portanto, o processo de extração do motor deve sempre ser feito em sua oficina a fim de evitar danos ao carro, bem como garantir um ótimo serviço.

Seguindo estas dicas, você vai se tornar uma referência em pintura automotiva em sua região, aumentando o número de clientes e, consequentemente, o faturamento do seu empreendimento.

Se você quiser continuar aprendendo dicas para aplicar em seu negócio, continue aqui no blog e confira como você pode fazer uma lavagem de motor com segurança!