De cada 4 empresas que acabaram de abrir as portas, pelo menos uma deve fechar em apenas 2 anos. Desse mesmo grupo de negócios, somente 2 empreendimentos devem estar abertos daqui a 5 anos.

Essa estatística parece muito cruel, mas reflete o cenário dos negócios no Brasil. Com um custo operacional alto e com uma baixa formação empreendedora, apesar da forte veia criativa para negócios do brasileiro, o panorama é preocupante.

Alguns motivos são os mais comuns quando o assunto é a falência de empresas. Para ficar mais fácil de identificar se a sua oficina mecânica está pecando em algum deles, vale a pena conferir a lista que preparamos.

1. Não analisar ou não conhecer o mercado

Muitos donos de empresa começam na vida dos negócios por acaso. Aproveitando uma oportunidade de momento ou seguindo os passos dos pais, várias empresas são abertas sem muito estudo e pesquisa prévia.

Fazer um bom estudo de mercado e ter um plano de negócios bem estruturado é fundamental para que se consiga disputar um lugar ao sol com boas condições de sobrevivência. Ainda que muitos empreendedores façam um plano para a abertura da empresa, a maioria não atualiza o seu planejamento nos anos seguintes.

Este é um erro básico que faz com que a rotina corrida da oficina acabe deixando de lado um olhar mais estratégico e profissional que se deveria ter sobre o próprio negócio.

2. Não inovar

Efeito manada é quando algumas pessoas começam a copiar o que outras estão fazendo sem saber exatamente o motivo. Isso também acontece com empresas.

Se o mercado anda tomando algum tipo de atitude como, por exemplo, a implantação de alguns serviços, formas de trabalho ou qualquer outra prática específica, vale a pena analisar o motivo e se os resultados fazem sentido.

Na dúvida, procure encontrar alternativas que consigam ampliar a sua receita, mas tente ser original e faça as contas para não cair em armadilhas pelo caminho.

3. Ignorar profissionais capacitados

Por mais que um dono de oficina consiga acumular uma boa experiência com o tempo, ter humildade para conseguir aprender com outros profissionais é algo bastante importante.

Por isso, não vá deixar de escutar o que os profissionais perto de você estão dizendo. Preste atenção e veja se realmente faz sentido e como você pode melhorar a sua oficina.

Bons conselhos podem vir tanto de mecânicos experientes como daqueles que tenham passado por treinamentos recentes. Não deixe de escutar também o seu contador e outros parceiros.

Não é para fazer tudo que lhe dizem, mas preste atenção se não há nenhuma ideia a ser aproveitada. É preciso ser crítico e receptivo ao mesmo tempo.

4. Não acompanhar indicadores

Alguns gestores só percebem que a empresa está em apuros quando é tarde demais. Nessa hora fica muito mais complicado conseguir gerenciar a oficina de forma a voltar com tudo para o devido lugar.

Se não quiser passar por apertos que ameacem a sobrevivência da empresa, tenha indicadores que ajudem a monitorar toda a situação. Esses números precisam ser atualizados e refletir o que realmente anda acontecendo no negócio.

Avalie constantemente o volume de clientes atendidos, a receita gerada, nível de inadimplência, perdas de mercadorias, lucratividade.

Tome cuidado também com a sua folha de pagamento. Para não ficar apertado no final do ano com 13º, faça uma programação adequada e considere também uma boa escala de férias para a sua equipe.

Se estiver um pouco inseguro, busque mais capacitação para você e todos aqueles que ajudam a tocar o seu negócio.

5. Não prestar atenção aos clientes

Um cliente que faz uma reclamação dentro da sua oficina deve ser ouvido com atenção. Se a reclamação for constante, o caso é ainda mais sério. Sugestões e dicas também podem ser feitas pelo público e devem ser consideradas.

É claro que alguns pedidos e contestações podem estar um pouco fora da realidade, mas não se deve deixar de prestar atenção ao que o seu público-alvo anda dizendo.

Com base em queixas e sugestões é possível melhorar o nível de serviços oferecidos, aumentar vendas e fidelizar clientes. Por isso, fique atento e faça pesquisas de satisfação de tempos em tempos.

6. Ficar sem recursos

Lembre-se sempre de considerar o prazo negociado para os seus recebimentos e pagamentos. Se estiver pagando mais à vista do que a prazo, talvez em algum momento a oficina pode ficar sem dinheiro no caixa.

Capital de giro é o volume de dinheiro que faz com que a sua oficina consiga operar todos os dias. Quanto menos dele estiver livre, mais difícil vai ser gerenciar.

Para garantir uma boa liquidez de recursos, tenha uma programação de compras, cuide bem da gestão do seu estoque, evite atrasar pagamentos para não ter que arcar com multas e juros. Cuide bem do seu financeiro, pois é ele que consegue manter as suas portas abertas.

7. Misturar pessoal e profissional

Todo e qualquer consultor dirá que nenhum empreendedor deve misturar dinheiro pessoal com o da empresa. Essa confusão de recursos é tanto prejudicial para o negócio como para o dono.

Mesmo que você já saiba disso – e que realmente não caia na bobagem de confundir as contas –, é preciso também não misturar as relações individuais com as de trabalho.

Não há nada errado em trabalhar com amigos e até familiares, mas é fundamental conseguir separar a relação existente entre todos. Do lado de dentro da oficina, o trato tem que ser profissional e respeitoso. Favoritismos, rixas e brincadeiras que possam atrapalhar o serviço precisam ficar do lado de fora.

8. Marketing fraco ou inexistente

Outro erro muito comum que ocorre em oficinas, é achar que marketing bom é só o de boca a boca. É bem verdade que um cliente satisfeito ajuda a trazer outros novos para o negócio, mas depender somente de indicações é uma estratégia muito arriscada.

Separe um tempo e uma verba para o marketing da sua empresa. Ainda que não seja muito, concentre-se em fazer com que ele ajude a divulgar o seu negócio e convencer um número maior de clientes a contratar seus serviços.

Lembre-se também de fazer ações e promoções que tenham como objetivo trazer clientes antigos. É mais barato manter o público que já conhece a sua empresa do que conquistar um novo.

Para não fazer parte de estatísticas de insucesso, é preciso ter atenção ao negócio e trabalhar com profissionalismo e dedicação. Se você se concentrar em garantir que não cometerá os erros acima, a sua oficina terá muito menos chances de fechar.

Caso queira receber mais conteúdos como este sobre os principais motivos da falência de empresas, dicas de como gerenciar o seu negócio, boas práticas de mercados e ficar atualizado sobre o que anda acontecendo no ramo automobilístico, assine a nossa newsletter.