Assim como outras profissões, a do mecânico automotivo também passou por uma grande transformação nas últimas décadas. Os profissionais de hoje têm preparação bastante diferente da geração passada, que tinha a precisão e a habilidade manual como requisito para a função e atuava com a intuição para diagnosticar o problema e repará-lo.

Isso não quer dizer que os mecânicos atuais não têm essas habilidades, mas que possuir outras capacidades é fundamental para a carreira. Para que você tenha uma ideia, profissionais mais antigos que absorveram as novidades do mercado automotivo encontram-se firmes em suas funções até hoje.

Neste texto você vai conhecer três principais requisitos e uma lista de atividades que um mecânico precisa dominar para ser um bom profissional. Confira!

1. Trabalho em equipe é essencial para o mecânico automotivo

Esse é o principal requisito exigido do profissional que deseja trabalhar em uma oficina. Ele deve demostrar ao recrutador, durante a seleção, que consegue conviver com conceitos e opiniões diferentes das suas, deixando claro que é capaz de trabalhar em equipe.

Se o mecânico tiver uma boa convivência com os demais colegas ele poderá trocar ideias e experiências, o que contribui para sua própria carreira e para a melhoria dos serviços prestados pela oficina.

2. Proatividade, humildade e persistência

Ser proativo faz toda a diferença: além de cumprir as ordens de serviço do chefe ou dos demais mecânicos, é preciso notar o que acontece no ambiente da oficina. Oferecer ajuda ao colega que está com dificuldades de fixar ou remover um componente do veículo, por exemplo, fará com que o profissional ganhe pontos a seu favor.

Além disso, não basta ser confiante e eficiente. Assumir os próprios erros e falhas também é um grande diferencial para o mecânico. Afinal, isso faz parte da nossa natureza e não é uma atitude vergonhosa, como alguns costumam pensar.

Deixar isso transparecer na entrevista e desde o primeiro dia de trabalho ajuda muito no reconhecimento profissional. Mostrar, durante o exercício das funções, que está sempre disposto a aprender técnicas novas também demonstra interesse e vontade de crescer.

Por incrível que pareça, as oficinas vivenciam situações que parecem impossíveis com uma certa frequência. Experimente perguntar para um mecânico se ele já resolveu algum caso anormal na carreira — pode ter certeza que ele terá muitas histórias para contar.

Em casos assim as habilidades do profissional são postas em prova, pois só consegue resolver o problema aqueles persistem. Além dos diferenciais citados acima também é necessário que o mecânico apresente algumas características comportamentais:

  • agilidade;

  • vocação;

  • flexibilidade de horários;

  • habilidade com máquinas e motores;

  • atenção a detalhes;

  • raciocínio espacial e abstrato desenvolvido;

  • capacidade de concentração;

  • interesse por computadores e softwares;

  • precisão;

  • capacidade de organização;

  • zelo pela própria segurança e dos demais colegas.

3. Capacitação em mecânica automotiva

As obrigações para ser um mecânico automotivo variam conforme a região, o porte da oficina e o nível de estudo que o profissional escolhe. Na maioria dos casos, só é preciso concluir o ensino médio e o curso técnico. Estudar em escolas técnicas que oferecem treinamentos com mecânicos experientes acelera o aprendizado e faz toda a diferença.

Após a conclusão do curso técnico, caso o profissional queira se aperfeiçoar ainda mais, ele pode se graduar em engenharia mecânica — seja num curso presencial ou a distância. Este tem sido muito requisitado, pois é mais em conta e favorece quem já trabalha — afinal, a modalidade EaD não tem grades de horários fixas.

Vale ressaltar que as faculdades e alguns cursos técnicos promovem e incentivam programas que ajudarão o candidato a ampliar suas chances de se tornar um bom mecânico de automóveis. Estágios oferecidos por empresas de automóveis ou oficinas mecânicas são algumas dessas iniciativas.

Após a conclusão dos estudos o aluno estará credenciado para atuar em:

  • mecânicas em geral;

  • concessionárias de marca;

  • montadoras de automóveis.

4. Funções que um mecânico precisa dominar

Além de estar sempre uniformizado, utilizar equipamentos de segurança e trabalhar em um ambiente limpo e organizado, o profissional deve saber ouvir o defeito do veículo e passar ao cliente as informações de uma maneira fácil de entender.

Veja, a seguir, uma lista de atividades que o mecânico automotivo deve desempenhar:

  • analisar o veículo, inspecionando-o diretamente ou por meio de aparelhos, a fim de diagnosticar suas anormalidades e defeitos de funcionamento;

  • estudar o trabalho de conserto a ser realizado, valendo-se de esboços, desenhos, especificações técnicas ou de outros métodos para planejar o roteiro de trabalho;

  • efetuar o desmonte e a limpeza do motor, componentes de transmissão, diferencial e outras peças que requeiram exame, utilizando chaves comuns e específicas, jatos de água/ar e produtos detergentes para eliminar impurezas e preparar os componentes para inspeção e reparação;

  • realizar a substituição, retificação ou ajuste de peças do motor — como bomba de óleo, anéis de êmbolo, cabeçote, válvula, árvores de transmissão, mancais e outras — utilizando ferramentas manuais ou instrumentos de controle e medição para garantir as características funcionais;

  • executar a reparação, a substituição ou a regulagem total/parcial do sistema de freio (tubulação, sapatas, cilindros) e do sistema de alimentação de combustível (tubulações, bomba, carburador);

  • arrumar o sistema de ignição (distribuidor e componentes, velas e fiação), o sistema de duração e o sistema de suspensão, lubrificação e arrefecimento, com o intuito de recondicionar o automóvel e assegurar seu funcionamento;

  • afinar o motor, ajustando a ignição, a carburação e o sistema de válvulas para obter o máximo de rendimento e de padrões funcionais;

  • saber montar o motor e demais componentes do automóvel, fazendo uso de desenhos ou especificações pertinentes para conduzir esse processo;

  • fazer o teste do veículo montado, dirigindo-o, a fim de comprovar o resultado do serviço realizado;

  • determinar o recondicionamento do equipamento elétrico, a regulagem dos faróis, o alinhamento da direção e enviar, conforme o caso, os componentes danificados a oficinas especializadas para complementar o conserto do veículo;

  • recondicionar peças utilizando tornos, máquinas de furar, limadoras, aparelhos de soldagem e ferramentas de usinagem manual em bancada;

  • executar tarefas no quadro do veículo e nas instalações elétricas;

  • especializar-se na manutenção e na recuperação de uma parte do veículo ou de um determinado tipo de motor, como direção, freio ou suspensão, e ser designado de acordo com a experiência adquirida.

Tudo isso se soma ao conhecimento que o mecânico automotivo precisa ter de cada modelo de veículo — sobre seu funcionamento, suas características tecnológicas e outros aspectos.

O profissional deve se atualizar sempre com as novas tecnologias que surgem no mercado e, se estiver atento a todos esses detalhes, será muito requisitado no ramo.

Esperamos que este artigo tenha ajudado você a entender qual é o perfil ideal de um bom mecânico. Para mais dicas como essas e novidades, curta nossa fanpage no Facebook! Até a próxima!