Como você investe o seu dinheiro? A maior parte das pessoas aplica economias na poupança ou na previdência privada. Muitos outros aplicam em bens tangíveis como imóveis e joias e ainda há aqueles que preferem apostar nas ações em busca de ganhos maiores. Nesse sentido, uma modalidade que tem se destacado nos últimos anos é o tesouro direto.

Você sabe o que é o tesouro direto? Bem, que tal emprestar dinheiro para o Governo Federal e cobrar juros sobre esse valor? Em termos simples, é isso o que acontece com essa modalidade de investimento. O governo emite e vende títulos públicos para captar recursos para financiar a dívida pública e realizar investimentos e remunera com juros os compradores.

Ficou interessado? Então continue a leitura e descubra as principais características e vantagens do tesouro. Ao final deste texto você ainda terá um passo a passo para começar a aplicar agora mesmo o seu dinheiro. Confira!

Características do tesouro direto

Renda fixa

A primeira característica do tesouro é que ele é um investimento de renda fixa. Na prática, isso significa que você pode prever a sua rentabilidade mesmo antes de realizar a operação. Na bolsa de valores (que é um investimento de renda variável), a rentabilidade não é garantida e você pode inclusive ter prejuízo.

Riscos

No quesito riscos, esse é um dos melhores investimentos, mais seguro até que a poupança. A poupança é coberta pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), ao passo que o tesouro é coberto pelo Tesouro Nacional — ou seja, você não receberá apenas se o país quebrar. Vale mencionar que é muito mais fácil uma instituição financeira quebrar do que um país.

Rentabilidade

A rentabilidade pode variar de acordo com o título escolhido. Basicamente, você pode escolher entre os pós-fixado e prefixados:

  • tesouro Selic: remunera o valor da taxa Selic e mais algum percentual;

  • tesouro IPCA: remunera a taxa da inflação (IPCA) e mais um percentual;

  • tesouro IPCA com Juros Semestrais: igual ao anterior, com a diferença que paga juros a cada seis meses;

  • tesouro Prefixado: remunera uma taxa fixa, sem levar em conta o IPCA ou Selic.

Essa diversidade permite que você possa criar uma carteira de investimentos. Ou seja, investir em curto, médio e longo prazos.

Investimento inicial

Pode ser que você tenha ficado interessado e que esteja pensando que altas taxas de operação estão envolvidas — ou que você precisará de um alto capital inicial. Embora essa seja uma prática comum em vários investimentos bancários, não é a realidade do tesouro. Hoje temos títulos que podem ser comprados a partir de R$ 30,98.

Taxas

Existem duas taxas cobradas: a taxa de custódia e taxa da instituição financeira. A primeira é obrigatória e custa 0,3% sobre o valor dos títulos. A segunda taxa é variável e uma boa parte das instituições financeiras já oferecem o serviço com taxa zero.

Além dessas, existe o imposto de renda. Esse é cobrado apenas sobre o ganho e descontado no momento de resgate do título. O percentual é decrescente, iniciando em 22,5% e reduzindo até 15% se o investimento for mantido por, no mínimo, 2 anos.

Vantagens do tesouro direto

Agora que você já conhece as principais características desse investimento, vejamos as suas principais vantagens.

Investimento seguro

Se você possui um perfil conservador, esse é o melhor investimento para você. Afinal, ele conta com a segurança do Tesouro Nacional e antes do país quebrar, praticamente todos os outros investimentos terão caído. Esse é considerado o investimento de menor risco do mercado.

Rentabilidade maior que poupança

Outra grande vantagem do tesouro é a sua rentabilidade. Enquanto a poupança tem uma regra que rende apenas 70% da Selic quando o índice for igual ou menor que 8,5% (que é o caso atualmente) mais a TR, o tesouro rende geralmente, no mínimo, 100% dessa taxa.

Liquidez

Além de aliar segurança e rentabilidade o tesouro direto tem rendimento diário e não apenas na data do aniversário (como a poupança). Além disso, permite que o valor seja em D+1 — ou seja, você solicita o saque hoje e amanhã o valor já está disponível (considera apenas dia útil).

Diversificação

O tesouro pode ser usado para quem deseja ter uma reserva de emergência, ter ganhos periódicos, pensar na aposentadoria ou especular e buscar ganhos turbinados. Cada uma das opções podem ser exploradas, pois é possível diversificar e aplicar em cada um dos títulos.

Facilidade

Atualmente, investir no tesouro é tão fácil quanto investir em uma poupança: você sequer precisa ir ao banco, tudo pode ser feito online. Além disso, dependendo da corretora ou do banco que você escolher, é possível programar investimentos e automatizar o processo.

Passo a passo para investir no tesouro direto

1. Faça o cadastro em uma instituição financeira

Para começar a investir, é preciso ter uma conta bancária. Você pode utilizar o seu banco ou criar uma conta em uma corretora de investimentos. A segunda opção é melhor alternativa, pois geralmente os grandes bancos cobram taxas de corretagem, ao passo que boa parte das corretoras possibilitam esse investimento com taxa zero.

Nas principais corretoras a sua conta pode ser aberta em alguns minutos e você pode investir e acompanhar todo o processo diretamente pelo computador ou por aplicativos móveis.

2. Transfira o dinheiro

Após a criação da conta é preciso depositar o dinheiro na instituição escolhida. A maioria só aceita as operações de TED. Fique atento a esse ponto: alguns bancos cobram a partir de R$ 15 por essa operação, especialmente ser forem realizadas presencialmente.

Se o valor investido for muito baixo, a operação pode se tornar inviável. Verifique essa informação com o seu banco, pois alguns oferecem uma quantidade de transferências gratuitas ao mês. Algumas corretoras também possuem parcerias e ficam isentas da taxa.

3. Defina um objetivo

Depois de abrir a conta, é a hora de pensar nos objetivos que você quer atingir. Você pode querer ter o valor aplicado para usar como capital de giro da empresa, por exemplo. Outra possibilidade é aplicar pensando em um investimento de médio prazo para aquisição de uma máquina ou manutenção da oficina.

4. Conheça os títulos

Depois definir os objetivos é o momento de estudar os títulos disponíveis. Cada um tem uma característica específica — como diferentes indexadores — e é mais indicado para cada prazo do objetivo que você precisa atingir.

5. Escolha o título

Agora é só escolher o título, determinar o valor que deseja aplicar e realizar a operação. Essas devem ser realizadas nos dias úteis e em horário de expediente bancário. Depois da compra você receberá um e-mail do tesouro confirmando a operação, que levará de dois a três dias úteis par ser liquidada.

Não é difícil perceber por que o tesouro direto tem conquistado cada vez mais os brasileiros. Além de ser considerado um dos investimentos mais seguros, tem uma excelente liquidez e rentabilidade. Pensando nisso, será que vale a pena investir na poupança?