A cada ano que passa, os fabricantes de veículos disponibilizam no mercado novas opções de componentes, a fim de que a escolha possa ser mais alinhada às necessidades dos consumidores. Existe um grande número de versões de acabamentos, acessórios e também de tipos de motor de carro. Na verdade, são inúmeras possibilidades para se configurar um veículo — principalmente no que diz respeito aos motores.

O motor ideal varia de acordo com a necessidade com que a indústria automotiva arquiteta cada modelo de automóvel. No momento da escolha, é necessário levar em consideração a forma como esse veículo vai ser utilizado. A respeito desse assunto, citaremos a seguir os principais tipos de motor de carro e explicaremos os detalhes de cada um. Acompanhe!

Motores em linha

Os motores em linha são compridos e estreitos. Em função da massificação dos veículos populares, eles são os mais utilizados por ocuparem menos espaço que os outros tipos. Esse motor, que é colocado transversalmente, ajusta-se a um capô menor e é possível ver esse tipo de combinação em todos os modelos pequenos do Brasil. Existem casos em que os motores são refrigerados a ar, sua configuração em linha tem mais dificuldade para resfriar.

O funcionamento desse motor é com apenas um bloco, em que os 4, 6 ou 8 cilindros atuam de maneira uniforme em uma reta e se movem pela transmissão produzida pelo virabrequim. As versões mais vendidas entre os veículos de motor automotivo em linha, geralmente, utilizam de 4, 5 ou até 6 cilindros — são as versões mais comercializadas e mais conhecidas.

Devido ao fato de ter cilindros alinhados uns aos outros de forma longitudinal, esse motor foi denominado motor em linha. Além disso, ele também é conhecido por motor vertical, em virtude de os pistões se posicionarem de pé.

Motores em V

A principal particularidade desse motor é formar um formato de V — se visto de frente — em que os cilindros estão colocados ao longo de 2 planos concorrentes, de forma inclinada, criando um ângulo variável entre si. Ele pode ser V6, V8, V10, ou V12 — 6, 8, 10 ou 12 cilindros.

Os carros com maior potência apresentam esse tipo de motor em sua estrutura. O V8 é o mais famoso deles, que compôs os Ford Maverickos e Dodge na década de 70. Já nos veículos mais atuais, o mais comum é o V6, que está em picapes, vans, modelos e utilitários esportivos. A verdade é que a grande parte dos automóveis de maior cilindrada (6 ou 8 cilindros) utiliza o modelo em V.

Geralmente, esses motores são utilizados em modelos maiores, em que o volume total do veículo exige uma frente maior, com um centro de gravidade melhor distribuído e também um capô frontal que não seja muito grande nem muito pequeno. Esse tipo de motor tem seus cilindros colocados de forma inclinada e em 2 planos concorrentes, sendo um de frente para o outro, formando um ângulo variável.

Nele, os cilindros atuam em 2 bancadas opostas de 2, 3, 4 ou 6 cilindros, em que se movimentam devido ao funcionamento do virabrequim — sendo o mesmo princípio do motor em linha, diferindo somente o encaixe das bancadas para o movimento do cilindro em uma posição contrária. Os pistões ficam em um certo ângulo (60º, 120º e 180º) que, ao vir a montagem ao longo do eixo árvore (virabrequim), eles estabelecem o formato V entre si.

Motores boxers

Esse tipo de motor boxer também é conhecido como motor deitado, pois os cilindros ficam na posição horizontal. O seu modelo mais conhecido é o utilizado no Fusca, porém também está presente em carros esportivos como Subaru e Porsche. Tento em vista que esse tipo de motor é mais largo e baixo, normalmente, os boxers são fabricados e escolhidos para modelos esportivos, pois esses modelos necessitam de um centro de gravidade mais baixo e bem-distribuído.

Eles o colocam na traseira dos seus esportivos, proporcionando estabilidade para o modelo. No motor boxer o virabrequim é o centro do motor e duas bancadas totalmente divergentes recebem o vai e vem dos cilindros. Por esse motivo, ele é conhecido como motor oposto horizontal e é muito mais largo e baixo que os outros tipos existentes.

A Porsche é uma das fábricas que mais utilizam o motor boxer. Na verdade, essa tecnologia foi descoberta pela Porsche. Os seus motores têm como grande particularidade a sua compactabilidade por causa de seus pistões contrapostos. Se comparado aos demais tipos de motor de carro, sua principal vantagem é permitir a redução da altura do centro de gravidade do veículo.

Motores em W

Esse tipo segue o mesmo princípio do motor em V, todavia, tem um plano a mais. São motores com muita potência e com alto custo de montagem por, basicamente, ser a montagem de 2 modelos V, lado a lado. Um exemplo de motor com esse conceito no mercado é o W 12, do Volkswagen Phaeton. Além disso, existe o Bugatti Veyron, com um W16.

Da mesma forma que o motor em V, quando os pistões são visualizados ao longo do eixo formam a imagem de um W entre si. Os motores W foram inventados recentemente e só foi possível chegar a esse modelo devido à experimentação da compactação maior dos cilindros em V. 

Eles são utilizados somente em modelos especiais, superesportivos ou os top de linha, pelo fato de serem mais complexos, além de só ser possível ser montado em um mínimo de 8 cilindros — sendo que o mais comum são 12.

Por fim, é muito importante conhecer os tipos de motor de carro, suas características, componentes e peças presentes em cada um. Dessa forma, será possível identificar o problema de cada um que chegar à sua oficina mecânica e conseguir resolvê-lo. Lembrando que é muito importante utilizar motores e peças de qualidade e também certificação para que seja possível o bom desempenho do veículo e maior segurança para seus clientes.

Você pode conhecer cada um desses motores com mais detalhes se inscrevendo em nossa Academia do Motor, uma plataforma de cursos online totalmente gratuitos sobre montagem de motores. Inscreva-se agora mesmo clicando aqui..